Crônicas de uma viagem 01: A Culpa é do Rafael

Acabei de passar em frente à um estabelecimento com grandes letras brilhantes dizendo “OTEL” e graças a escuridão da madrugada nunca saberei se era um hotel ou um motel. Estou no ônibus em direção a São Paulo, mais sete horas de viagem me esperam. Com a minha mochila aos meus pés e coberto por uma manta não muito confortável uso o wifi do ônibus para me comunicar com o mundo externo – conveniências do mundo moderno. 
Decidi por não tomar meu remédio essa noite, talvez só vá para o reino de Morpheu mais tarde. Estou contemplando o exterior pela janela, uma vasta escuridão, talvez essa vastidão seja o motivo que me mantenha afastado de viagens, tanto pelas longas distâncias que eu tenho que percorrer para chegar ao meu destino quanto por ter que contemplar a minha pequenez perante ao mundo. 

As vezes luzes na distância, de pequenas cidades ao redor, no caminho, das quais não sei seus nomes. Graças a uma grande amiga agora eu olho para essas luzes me perguntando “Quais histórias existem ali? O que há nesse lugar?”. É uma perspectiva interessante. 

É um processo muito estranho… Tentar escrever uma linha de pensamento, digo, principalmente na parte da pontuação, eu não costumo dar tempo para vírgulas na minha cabeça. Não que eu costume montar uma grande estrutura antes de escrever qualquer coisa, eu só vou jogando palavras na frente uma da outra e espero que algo faça sentido no final. Talvez o silêncio e a escuridão dessa cabine do ônibus tenha me levado a introspecção grande o bastante para me fazer escrever linhas e linhas sobre nada. Existe algo de catártico em falar sobre nada, talvez ajude a tirar muito do vazio do dia a dia e, se bem feito, você pode sair soando como formoso ou poético quando é… nada. 

Gostaria de ter upado o quinto episódio do podcast antes de vir, mas o Rafael não me mandou a parte dele, então me abstenho da culpa e só lamento não poder fazer nada a respeito até voltar para Juiz de Fora. Enquanto isso continuo olhando pela janela, olhando as luzes das várias histórias que vivem nos arredores e as pequenas luzes no céu, que, como disse muito sabiamente o podcast Welcome to Nightvale “mostly void, particularly stars.”

Anúncios

Uma resposta para “Crônicas de uma viagem 01: A Culpa é do Rafael

  1. Pingback: Título Falso 06: Meu peru era nuggets | Offline Play·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s